18 de nov de 2011

Método de Haas " Rx Cranio "



Posição da Parte
Apoiar a fronte e o nariz do paciente contra a mesa/superfície do Bucky.
Flexionar o pescoço, trazendo a LOM perpendicularmente ao filme. Alinhar
o plano mediossagital perpendicularmente ao RC e à linha média do porta- filme
ou mesa/superfície de Bucky.

Assegurar-se de que não há rotação ou inclinação (plano mediossagital
perpendicular ao filme).
Raio Central
Angular o RC 250 cefálico à LOM.
Centralizar o RC ao plano mediossagital através do nível das MÃES. .
Centralizar o receptor de imagem em relação ao RC projetado.
DFoFi mínima de 40 polegadas (100 cm).
Colimação Fazer a colimação nas margens externas do crânio em todos os lados.

Respiração Prender a respiração
Critérios Radiográficos

Estruturas Mostradas: Osso occipital, pirâmides petrosas e forame magno,
com o dorso da sela e clinóides, posteriores visualizados na sombra do
forame magno.
Posição:A ausência de rotação é evidenciada pela distância igual do forame
magno até a margem lateral do crânio em ambos os lados. . Dorso da sela e
clinóides posteriores são visualizados no forame magno, o que indica correta
angulação do RC e flexão e extensão adequadas do pescoço. As cristas
petrosas devem estar simétricas e visualizadas superiormente aos processos
mastóides.
Colimação e RC: Todo o crânio é visualizado na imagem, com o vértice
próximo ao topo e o forame magno e as porções mastóideas próximas à parte
inferior. . Bordas de colimação são visíveis nas margens externas do crânio.
Critérios de Exposição: Densidade e contraste são suficientes para visualizar
o osso occipital e as estruturas selares no interior do forame magno. . Margens
ósseas nítidas indicam ausência de movimento.

Patologia DemonstradaOSSO occipital, pirâmides petrosas e forame ESPECIAL magno, dorso da
sela e clinóides posteriores são mostrados.
Essa é uma incidência alternativa para pa­cientes que não podem flexionar o
pescoço suficientemente para a incidência AP axial (Towne). Há ampliação da
área occipital, mas resulta em doses menores para as estruturas faciais e
glândula tireóide.
Não é recomendada quando o osso occipital é a área de interesse devido à
ampliação excessiva.

3 comentários:

  1. Tenho o prazer e a satisfação de ajuda meus amigos técnicos e tecnólogos , espero que gostem das postagens . obrigado a todos !

    ResponderExcluir
  2. Olá Maico! Tenho prova pática na facul amanhã e suas dicas me ajudaram bastante!!!
    Sucesso pra vc!
    Janaína Machado Porto Alegre,Rs

    ResponderExcluir
  3. Qual é o Autor desta incidência?

    ResponderExcluir